Seguidores

terça-feira, 9 de junho de 2009

Poeta Mário Feijó




Para que eu te amasse
Eu não sei se foi
O teu jeito de olhar...
Talvez até quem sabe
O teu modo de andar

Mexendocom todo o teu corpo
E também com o meu
– eu não sei...
Eu simplesmente não sei
A razão que tive para te amar
Mas toda vez que te vejo
É como se eu fosse fumaça
Que sobe aos céus
– eu dou graças...
Podia ser até pelo teu cheiro
Ou pelo sabor que tu tens
Eu não sei –
pois eu nunca te toquei
Nem tão pouco senti o teu perfume...
Só que eu sinto que se precisasse
Explicar porque te amo conseguiria
Rapidamente formular uma tese
De que não existe uma razão para amar
A gente simplesmente ama...


MOVIDO POR VOCÊ

Por menor que sejamos
Diante da grandeza do universo
Nem imaginas a extensão
Que ocupas em minha vida...
O teu amor
Tem uma vasta energia
Capaz de gerar meus movimentos
Ele me faz querer viver...
A tua presença
Enche todos os espaços
E o fato de eu poder te ver
Cabe em todas as minhas paisagens...
O som da tua voz
Toca em minh’alma
Que esperta para a vida
E produz nela os mais belos ritmos...
Eu sou assimMovido por você...
E sem tiEu não saberia mais viver...

04.06.2009







Meu coração feridoEsvaiu-se em sangue
Quando não mais sentiu
O calor dos teus braços
E solitário feriu-se
Deixando meu corpo apático
Faces descoradas pela solidão
E pela falta de emoção em estar contigo...
Não consigo animá-lo
Mesmo oferecendo outros amores
Mesmo proporcionando fortes emoções
Jovens corações
– ele sente a tua falta...
Vem e me abraça
Cobre minha pele com a tua
Encha minha boca de beijos
E cicatrize meu coração ferido...

04.06.2009



Mário Feijó



Nenhum comentário:

Postar um comentário