Seguidores

sábado, 30 de abril de 2011

Poesias de Rachel de Queiroz




Telha de vidro





Rachel de Queiroz Quando a moça da cidade chegou
veio morar na fazenda,
na casa velha...
Tão velha!
Quem fez aquela casa foi o bisavô...
Deram-lhe para dormir a camarinha,
uma alcova sem luzes, tão escura!
mergulhada na tristura
de sua treva e de sua única portinha...
A moça não disse nada,
mas mandou buscar na cidade
uma telha de vidro...
Queria que ficasse iluminada
sua camarinha sem claridade...
Agora,
o quarto onde ela mora
é o quarto mais alegre da fazenda,
tão claro que, ao meio dia, aparece uma
renda de arabesco de sol nos ladrilhos
vermelhos,
que - coitados - tão velhos
só hoje é que conhecem a luz doa dia...
A luz branca e fria
também se mete às vezes pelo clarão
da telha milagrosa...
Ou alguma estrela audaciosa
careteia
no espelho onde a moça se penteia.
Que linda camarinha! Era tão feia!
- Você me disse um dia
que sua vida era toda escuridão
cinzenta,
fria,
sem um luar, sem um clarão...
Por que você na experimenta?
A moça foi tão vem sucedida...
Ponha uma telha de vidro em sua vida!

Geometria dos ventos


Eis que temos aqui a Poesia,
a grande Poesia.
Que não oferece signos
nem linguagem específica, não respeita
sequer os limites do idioma. Ela flui, como um rio.
como o sangue nas artérias,
tão espontânea que nem se sabe como foi escrita.
E ao mesmo tempo tão elaborada -
feito uma flor na sua perfeição minuciosa,
um cristal que se arranca da terra
já dentro da geometria impecável
da sua lapidação.
Onde se conta uma história,
onde se vive um delírio; onde a condição humana exacerba,
até à fronteira da loucura,
junto com Vincent e os seus girassóis de fogo,
à sombra de Eva Braun, envolta no mistério ao
mesmo tempo.



Telha de Vidro

Quando a moça da cidade chegou
veio morar na fazenda,
na casa velha...
Tão velha!
Quem fez aquela casa foi o bisavô...
Deram-lhe para dormir a camarinha,
uma alcova sem luzes, tão escura!
mergulhada na tristura
de sua treva e de sua única portinha...

A moça não disse nada,
mas mandou buscar na cidade
uma telha de vidro...
Queria que ficasse iluminada
sua camarinha sem claridade...

Agora,
o quarto onde ela mora
é o quarto mais alegre da fazenda,
tão claro que, ao meio dia, aparece uma
renda de arabesco de sol nos ladrilhos
vermelhos,
que — coitados — tão velhos
só hoje é que conhecem a luz doa dia...
A luz branca e fria
também se mete às vezes pelo clarão
da telha milagrosa...
Ou alguma estrela audaciosa
careteia
no espelho onde a moça se penteia.

Que linda camarinha! Era tão feia!
— Você me disse um dia
que sua vida era toda escuridão
cinzenta,
fria,
sem um luar, sem um clarão...
Por que você na experimenta?
A moça foi tão vem sucedida...
Ponha uma telha de vidro em sua vida!

 São Francisco de Canindé

Ele estava lá no céu,
junto de Nosso Senhor...
Mas um dia lembrou-se de vir cá
pra dentro daquela igreja,
pra cima daquele altar...

Ficou tão vistoso e rico
todo cercado de luz,
         todo cercado de flor!
Amostrando as mãos feridas,
as rosas presas num laço,
e o pé chagado de roxo
que é mode a gente beijar...

E milagre?
Hoje só sofre quem quer...
—Tem bouba no pé?
E esipra?
Um catarrão incansado
lhe cerra a arca do peito?
— Por que é que não promete
a são Francisco das Chagas,
tão bom e tão milagroso,
uma perna de cera?
ou o dinheiro do legume
que você apurou depois das águas?

Veja o quarto dos milagres,
dava para um rio de cera. E na galeria de uma banda,
aquele cofre:
só de prata de paroara
chegou pra o santo enricar!...

"Meu irmão me dê uma esmola
pela luz que Deus lhe deu!
Que já tive pra morrer
são Francisco me valeu
porque eu prometi a ele
tudo o que tinha de meu...
E dei o que prometi,
ao depois vim esmolar."

"Ah, meu irmão me socorra!
E queira Deus lhe livrar
de um dia lhe acontecer
fazer promessa e pagar..."

Nunca mais
que são Francisco quer voltar pró céu!...
Acha tão bom lá na igreja
no altar enfeitado!
Ou pelo tempo na festa
dar um passeio no andor!...
Tão bom no Canindé!...
Rachel de Queiroz

6 comentários:

  1. ' Oii gente ; hoje tenho que fazer um trabalho sobre as poesias de rachel de quiroz estou procurando maais eatá muito dificil de encontrar " podem miim ajudae?

    ResponderExcluir
  2. olá galera estou pesquisando sobre rachel de queiroz para o forum do colegio

    ResponderExcluir
  3. oiiiiiiiiiiiiiiiiii galera aqui é o katita so passei pra deixar um bjão

    ResponderExcluir
  4. poemas bons estava querendo poemas sobre ela tenho 1 trabalho dela vlw desde ja agradeço!
    Tenho 12 anos

    ResponderExcluir
  5. oi glr to fazendo um trabalho aqui sobre rachel de queiroz podem mim ajudar aoende encontra uma poesia legal! vlw

    ResponderExcluir
  6. Ólá Rachel, amada Rachel,
    além de poesias, esta senhora foi romancista e teve o previlégio de ser a primeira escritora a receber um dos maiores prémios de literatura criado por Portugal e Brasil - Prémio Camões, instituído para galardoar anualmente o escritor ou escritora que melhor tenha contribuído para as letras do espaço lusófano.Beijos, doces, deste teu admirador e leitor...

    ResponderExcluir